sábado, 9 de julho de 2011

Luz entre sombras

"É noite medonha e escura, 
Muda como o passamento 
Uma só no firmamento 
Trêmula estrela fulgura. 

Fala aos ecos da espessura 
A chorosa harpa do vento, 
E num canto sonolento 
Entre as árvores murmura. 

Noite que assombra a memória, 
Noite que os medos convida, 
Erma, triste, merencória. 

No entanto...minha alma olvida 
Dor que se transforma em glória, 
Morte que se rompe em vida."
(Machado de Assis, in 'Falenas')

Nenhum comentário:

Postar um comentário